fbpx

Um brinde à cerveja artesanal

O mercado de cerveja artesanal vem crescendo e isto é visível. Há uma macrotendência que nos rodeia, chamada experiência, e que se resume basicamente em transformar o simples ato de beber uma cerveja gelada em um momento único. Não só o mercado de cervejas, mas todo o mercado consumidor, vive diariamente a mesma tendência, traduzida em comportamentos. Reunir os amigos para degustar uma boa cerveja artesanal e harmonizar tudo isso com um churrasco, uma tábua de frios ou o que preferir tornou-se uma experiência extremamente positiva.

Para um bom brasileiro, pode parecer óbvio e cotidiano fazer um churrasco entre amigos e tomar cerveja, mas o fato de momentos como esse terem se tornado uma experiência transformou estes encontros em algo um pouco mais “gourmetizado”. Esta relação entre experiência e o mercado de cervejas artesanais fez com que, em 10 anos, o Brasil partisse de 70 para 700 cervejarias, de acordo com a Abraceva, Associação Brasileira de Cerveja Artesanal.

Por ser um produto um pouco mais caro, o ritmo de vendas ainda não se compara com o de cervejas mais populares. Porém, isso não é um fator limitador para os apreciadores de cerveja. O consumo está mais concentrado nas regiões Sul e Sudeste, mas é percebido um aumento nas vendas na região Centro-Oeste, ainda de acordo com a Abraceva. Moradores das capitais acabam consumindo mais por ter acesso a uma maior quantidade de bares especializados e lojas específicas, que contam com uma grande quantidade de rótulos. No entanto, o interior de São Paulo tem crescido muito neste sentido, inclusive com produtores locais que tem se tornado conhecidos pela qualidade de suas cervejas e também por serem incentivados pelo comércio local.

imagem ilustrativa – Ribrew

É o caso da Ribrew, cervejaria sediada em Matão, interior de São Paulo. O cervejeiro e proprietário Bruno Ribeiro decidiu arriscar e, motivado pela paixão por cervejas, decidiu abrir a sua própria cervejaria. Hoje a Ribrew conta 5 rótulos e quer crescer organicamente, como você pode conferir abaixo em nosso bate papo.

1. O que te motivou a abrir um negócio próprio? Já sabia que ia seria relacionado a cerveja?

R. A motivação veio pela minha paixão por cervejas, eu sempre fui um apreciador de boas cervejas. Em 2014 tive um ano sabático na Europa onde tive o prazer de conhecer algumas das principais cervejarias e muitas cervejas diferentes. E ao regressar ao Brasil, vi que era muito difícil encontrar ótimas cervejas. Percebi que a nossa cerveja tradicionalmente comercializada (massa) deixa muito a desejar. Resolvi estudar sobre cerveja e fazer para consumo próprio. E nesse período percebi que o Brasil estava em uma grande crescente nesse segmento, então resolvi arriscar.

2. Como você enxerga o consumo de cerveja, atualmente?

R- O consumo de cerveja artesanal têm aumentado a cada dia, e esse conceito veio pra ficar. Hoje já podemos dizer que é uma realidade. O consumo de Artesanais ainda é muito tímido, em torno de 1,3% do mercado Brasileiro, sendo o restante “abocanhado” pelo mercado de cerveja de massa. Temos que pensar que nosso país é o terceiro maior consumidor de cerveja do mundo. Então têm muita coisa para crescer ainda.

3. Você acredita que sofre com algumas barreiras por ser um negócio do interior?

R- Com certeza temos algumas barreiras, a cerveja artesanal em grande centros ainda é desconhecida por muitas pessoas. Em centro menores, isso acontece ainda mais facilmente, devido à não se ter informação sobre o produto e até mesmo dificuldade para achar em um ponto de venda. No interior temos dificuldades de encontrar insumos cervejeiros, cursos e relativos sobre cerveja. Mas de uma maneira macro, todos os microscervejeiros sofrem com os impostos adotados pela nossa política, onde o pequeno é sempre dificultado com a falta de incentivos e as altas cargas tributárias.

4. Qual tipo cerveja tem mais saída? Porquê?

R- Para o público que está entrando nesse mundo, são mais procuradas as cervejas com menor teor alcoólico e lúpulos, como Lager, Pilsen, Trigo e algumas Ales. Já para os degustadores mais experientes, as Indian Pale Ale (IPA) são as mais procuradas devido a alta carga de lúpulos que elas levam em suas receitas. Os famosos “Lupulomaníacos”.

5. Quando você pensa nos toques de sabor das cervejas que você cria, ao longo da produção, você já imagina na harmonização que ela pode ter com algum tipo de alimento?

R- Sim, é natural pensar nas combinações e harmonização. A bebida e a comida andam juntas e cada estilo de cerveja, por suas características, já se direciona a que tipo de comida que ela combinará, como frituras, carnes assadas, comidas mais condimentadas e doces, entre outras.

6. Este caminho que tem sido visto em cervejas tipo Colorado, antes considerada artesanal, por estarem sofrendo um processo de industrialização, entrou no mainstream e de certa forma para alguns apreciadores de cerveja artesanal, deixou de ser “a verdadeira cerveja artesanal”. O que você pensa sobre isso? Concorda com esta visão?

R- Acredito que toda cerveja feita em larga escala, de uma certa maneira, deixa de ser artesanal, e algumas características de qualidade ou algumas peculiaridades, fica mais difícil de serem mantidas como anteriormente. Acho isso normal quando uma determinada cervejaria ou marca se torna uma gigante. Mas na minha visão, acredito que acaba ficando pelo caminho aquela pegada artesanal que tanto admiramos.

7. Quais são suas perspectivas para os próximos anos para a Ribrew?

R- A Ribrew é uma empresa muito jovem, e a maior perspectiva da empresa é de fato entrar definitivamente no mercado. Hoje a Ribrew possui 5 rótulos, mas no mercado só estamos com 1 rótulo, gradualmente as coisas acontecendo na maneira que planejamos, iremos inserindo os novos rótulos.

A Ribrew está sendo comercializada em alguns pontos do interior e as lojas do Grupo Palomax, Palomax e MaxFácil são alguns destes pontos. Temos muito orgulho em apoiar a produção local e incentivar este tipo de trabalho. Se tem mais interesse em receber conteúdos como este sobre cerveja, participe do nosso grupo de cervejeiros BeerMax. CLIQUE AQUI, preencha seus dados e curta nosso MAXBLOG, receberá conteúdos de seu interesse e muito mais novidades.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: